Grandeza | por Bert Hellinger

December 9, 2017

 

“Grande é apenas aquele que se sente igual aos outros, pois a maior grandeza que possuímos é aquilo que compartilhamos com todos os seres humanos. Quem sente essa grandeza dentro de si e a reconhece se sabe grande e, ao mesmo tempo, conectado a todos os outros seres humanos. (...) Ele ama os outros na grandeza destes e é amado por eles devido à sua própria grandeza. Por isso, essa grandeza une todos os seres humanos com humildade e amor. 

 

Quem se exalta sobre outros perde a ligação com estes. Ele se retrai deles, e eles por sua vez se retraem. Por isso essa presunção causa solidão e desconfiança. Quem se exalta deve temer que os outros o rejeitem, que esperem secretamente que caia de sua altura presunçosa, até que volte a ser igual aos outros. Sim, ele mesmo espera secretamente por essa queda, porque a própria alma não suporta essa presunção por longo tempo. Ele acaba cometendo erros incompreensíveis a estranhos, mas que estão em harmonia com sua alma. (...)

 

A verdadeira grandeza é exigente, porém de uma maneira benfazeja, pois do mesmo modo que ela reconhece os outros, espera esse reconhecimento também por parte deles. Essa exigência beneficia a todos. Ela une onde a exigência presunçosa ou a que se recusa à ação grandiosa separa.

 

Faz parte da grandeza que eu reconheça em mim aquilo que de especial me foi dado e, ao mesmo tempo, aquilo que é especial em cada outro ser humano. Por isso também o especial é algo comum a todos os seres humanos e une, ao invés de separar, porque também o especial está a serviço do todo. Por isso o especial é mesmo, onde parece ser diferente, no todo, igual a qualquer outro.”

 

Bert Hellinger 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload