Princípios (leis) que regem o Inconsciente Familiar por Elaine Romano [Parte 5]

 

(...) Outro princípio que Hellinger percebeu é o respeito à Hierarquia do Tempo, ou Lei da Ordem de Chegada. Segundo ele, desrespeitos à Hierarquia do Tempo em um sistema familiar podem gerar destinos trágicos a algum descendente.

 

Certa vez, recebi em meu consultório um casal com duas crianças. Um menino adolescente, e uma menina com três anos. Pude observar, logo no início, que a mulher ignorava completamente o adolescente. Ele conversava com ela, perguntando coisas simples, como: “Posso pegar uma bala?” e não obtinha respostas, nem mesmo um olhar.

 

Este menino era filho do primeiro casamento do atual marido dela. Parece que a segunda esposa gostaria de apagar da história o primeiro casamento do atual marido, o que é impossível. Ninguém pode apagar o passado. E justamente o respeito a quem veio antes é que promoverá o equilíbrio no campo inconsciente desta família.

 

Esse adolescente é fruto do primeiro relacionamento do marido desta mulher, cronologicamente, veio antes, assim como o primeiro casamento em relação ao segundo. Isto tem que ser respeitado. Este homem hoje está pronto para um novo casamento graças às vivências e experiências de sua primeira relação, que acabou. É importante que todos tenham um lugar no campo familiar, inclusive ex-parceiros.

 

É, também, muito comum observarmos o desrespeito à Lei da Ordem em empresas, quando algum funcionário tem alguma atitude interna de desrespeito a quem chegou antes, na empresa, mesmo que o funcionário mais recente tenha mais conhecimentos técnicos que funcionários antigos. “O ser é estruturado pelo tempo. O ser é definido pelo tempo e, através dele, recebe seu posicionamento. Quem entrou primeiro em um sistema tem precedência sobre quem entrou depois. Sempre que acontece um desenvolvimento trágico em uma família, uma pessoa violou a hierarquia do tempo.” Hellinger, B.

 

Bert Hellinger percebeu que o Equilíbrio das Relações de Troca ou Lei do Equilíbrio é outro princípio que rege o inconsciente. Muitos problemas nos relacionamentos ocorrem quando este princípio é desrespeitado - quando um dos parceiros oferece mais que o outro é capaz de retribuir, como afetos e cuidados. Quem muito deu se sente esvaziado e tende a cobrar. E quem muito recebeu sente-se endividado e tende a retribuir, se isto não for possível, de alguma maneira, a pessoa que muito recebeu se sente endividada e tende a sair do relacionamento. “O que dá e o que recebe conhecem a paz se o dar e o receber forem equivalentes. Nós nos sentimos credores quando damos algo a alguém e devedores quando recebemos. O equilíbrio entre crédito e débito é fundamental nos relacionamentos.” Hellinger, B. (...)

 

ROMANO, E. (Diálogos Interdisciplinares) 26 p. Revista Psicologia – Especial Constelação Familiar, Editora Mythos, 2016.

 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload